• Vinho Magazine

Cabernet Sauvignon


Vide velha de Cabernet Sauvignon: folhas recortadas, pruina branca e grãos bem pequenos

A uva tinta mais plantada pelo mundo tem naturalidade francesa, mas rende lindos caldos em quase todos os continentes. Veja as notas de 21 exemplares de Cabernet Sauvignon de alto nível


Por: Eduardo Viotti


A Cabernet Sauvignon ainda mantém, apesar de um recente declínio desse prestígio, a fama de uva tinta mais disseminada pelo mundo –por suas qualidades, claro! Esse cruzamento entre a Cabernet Franc e a Sauvignon Blanc adapta-se facilmente a diversos tipos de solos e climas, e tornou-se a mais plantada das uvas tintas no Novo Mundo –e também pela própria Europa, em regiões bem afastadas de sua Bordeaux natal, tais como Portugal, Espanha etc.

A Cabernet Sauvignon frutifica em cachos de tamanho médio para pequeno e uma de suas características marcantes é o diminuto tamanho de seus bagos, com uma relação entre polpa e casca capaz de render caldos bem tânicos e de muita cor. Apesar de ser uma planta robusta e adaptável, é sensível à doenças fúngicas e tem maturação tardia, o que a torna especialmente indicada para áreas vinícolas cujos verões são quentes e secos, tais como a Califórnia, Nova Gales do Sul (Austrália), Argentina e especialmente Chile.

Na França, ela é a rainha da margem esquerda do Garonne, o Médoc, e da região entre esse rio e o Dordogne, chamada Entre Deux Mères. Ali dá origem a alguns dos mais prestigiados vinhos franceses. O norte da Aquitânia e a margem direita também tem vinhedos de Cabernet Sauvignon, mas são o território de domínio da Merlot, com apoio da Cabernet Franc.

Veja a seguir as notas de 21 exemplares de distintas regiões: