• Vinho Magazine

Não fume, mas se fumar beba vinho

Fumar é muito danoso à saúde, e isso é definitivo. Entretanto, uma ingestão moderada de vinho pode reduzir os danos causados pelo tabaco

POR DR. JAIRO MONSON DE SOUZA FILHO

Consumir cigarros prejudica todos os órgãos do corpo humano. Os danos mais expressivos ocorrem sobre o sistema cardiovascular. Beber vinho, regular e moderadamente junto com as refeições, aumenta a expectativa de vida e oferece várias proteções, as mais significativas sobre o sistema cardiovascular e o metabolismo.


Então, o que acontece para quem fuma e bebe vinho?

O hábito de fumar cigarros tem um custo muito alto. Não apenas custo financeiro para a pessoa e para o Estado mas, principalmente, uma perda em qualidade e quantidade de vida. O Centro de Controle de Doenças (CDC) nos EUA estima que o cigarro sozinho matará 480.000 pessoas naquele país em 2017. Isso é mais que todas as mortes esperadas pelo HIV e violência (uso de drogas ilegais, acidentes com veículos, armas e fogo) juntas. A Sociedade Americana do Câncer (ACS) calcula em mais de 1 trilhão de dólares anuais as perdas globais com diminuição da produtividade, adoecimento e mortes prematuras pelos cânceres relacionados ao consumo de tabaco. Neste número eles não consideram os danos cardiovasculares e outros. O governo brasileiro gasta anualmente mais de 41 milhões de reais na compra de medicamentosutilizados no tratamento contra o tabagismo. Todos os números que envolvem esse nefasto hábito são gigantescos e impressionantes.

Então, o que acontece a quem fuma e bebe vinho? Cientistas do Departamento de Medicina Interna III (Cardiologia, Angiologia e Cuidados Intensivos) do Hospital Universitário de Sarre da Faculdade de Medicina da Universidade de Saarland, Hamburgo, Alemanha, realizaram estudo, cientifi - camente muito bem desenhado, para responder a essa questão. O trabalho foi publicado no American Journal of Medicine em janeiro de 2017.

Para o estudo foram selecionados 14 homens e 6 mulheres saudáveis com idade média de 31,1 ± 0,8 anos. Todos eram da área médica, tiveram um jejum de 6 horas e não realizaram atividades físicas e nem se expuseram ao tabagismo passivo nas 24 horas que antecederam o experimento. Todos fumaram 3 cigarros (Gauloises red, Imperial Tobacco) e a metade também tomou vinho tinto (Chateau Haut-Pontet, Saint-Emilion Grand Cru, 2005). A quantidade de vinho para cada indivíduo foi calculada pela fórmula de Widmark para aumentar a quantidade de álcool no sangue em 0,075%, o que deu uma média de 40 mL por participante. Foram colhidas amostras de sangue e 10 mL de urina para análises. Essas amostras foram colhidas antes do início do experimento, 45 min após ingerirem vinho; 100 minutos e 18 horas após fumarem.

Foram feitas diversas análises e os resultados receberam tratamento estatístico adequado. O que eles evidenciaram foi que fumar aumentou de maneira muito significativa os indicadores de dano endotelial, estresse oxidativo, inflamação vascular e envelhecimento celular (tudo isso muito nocivo à saúde!). E que esses danos foram neutralizados pelo consumo moderado de vinho tinto.

Algumas considerações são importantes. Este estudo foi feito com jovens saudáveis que não tinham o hábito de fumar. Não se deve transpor essas conclusões para pacientes idosos, doentes e tabagistas crônicos. Esse perfil de paciente não foi avaliado. Foi analisado apenas o vinho tinto ficando em aberto conclusões com o consumo de outras bebidas alcoólicas. Os efeitos avaliados foram em pacientes fumantes e bebedores ocasionais. Ainda não é possível saber se o mesmo ocorre com os abusadores.

Os pesquisadores ressaltam que o objetivo deles com este estudo não é, em absoluto, incentivar os fumantes a beberem vinho e tampouco os bebedores a fumar. A intenção foi apenas mostrar os mecanismos fisiopatológicos de como acontecem os danos quando se fuma e da proteção que ocorre quando se faz isso ingerindo vinho tinto concomitantemente. Do mesmo modo não é intenção minha e nem da Vinho Magazine recomendar o uso de tabaco, nem mesmo acompanhado pelo uso adequado de vinho. Nada que um fumante possa fazer é mais efetivo para evitar o envelhecimento e a morte precoce do que abandonar o hábito do cigarro.

Esse estudo comprova que o vinho é uma bebida que foi criada com a benesse e generosidade dos deuses. Ele, quando bebido de maneira responsável, além de dar prazer, agrega benefícios inestimáveis à saúde e, agora sabemos, também protege de danos causados por substâncias nocivas ao organismo.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • White Facebook Icon

Leia nossa revista pelo

Go read.png
  • White Instagram Icon

Join Our Mailing List

  • White Facebook Icon