• Vinho Magazine

Spa do vinho

Em Bento Gonçalves, RS, um spa 5 estrelas dedicado à vinoterapia


Vinoterapia não é “vinhoterapia”. Não adianta nada tomar banho de vinho ou passá-lo no corpo… Por causa do álcool, o vinho não rejuvenesce a pele nem a torna sedosa. Ao contrário, sua aplicação direta pode ser prejudicial à pele.

“Tratamentos com vinho são uma falácia, pois o álcool da bebida é prejudicial à pele. Duvide de qualquer lugar que lhe proponha banhos ou bandagens com vinho, porque a bebida em si não tem propriedades terapêuticas sobre a pele. Tem sim sobre o corpo quando a bebemos, ajuda o coração, por exemplo. É por isso que trabalhamos apenas com ‘vinoterapia’, ou seja, realizamos tratamentos com extratos obtidos dos subprodutos do processo de vinificação, como as sementes, a pele e o bagaço das uvas usadas na produção do vinho”, afirma Deborah Villas-Bôas Dadalt, sócia-diretora do Spa do Vinho, o mais famoso do Brasil, localizado no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha.

Ela explica que esses extratos vinoterápicos possuem altíssima concentração de polifenóis da uva, e estes sim, atuam nas camadas subcutâneas. Essa ação regeneradora somente é obtida pela estabilização dos polifenóis da uva em laboratório, ou em altas concentrações.

A vinoterapia surgiu há cerca de 20 anos, quando Mathilde Cathiard, dona do spa Les Sources de Caudalie, que fica no château Smith Haut-Lafitte, em Bordeaux, na França, contratou um time de experts dentro da Universidade de Bordeaux, capitaneados por um famoso pesquisador, prof. Vercauteren. Com os subprodutos dos vinhedos do château Smith Haut-Lafitte, ele desenvolveu processos de estabilização dos polifenóis da uva, tornando possível utilizá-los em produtos cosméticos.

A vinoterapia do Caudalie chegou ao Brasil por meio de uma parceria com o Spa do Vinho. “Escrevi uma carta apresentando nosso projeto e Mathilde logo se encantou. Depois de muitas visitas técnicas e treinamentos, tínhamos uma equipe preparada para trazer a vinoterapia ao Brasil e assim nasceu nosso spa, que acabou denominando todo o complexo como Spa do Vinho”, conta Deborah.



A vinoterapia ali começou com a implantação de um vinhedo de Merlot, a uva emblemática da região, em parceria com a vinícola Miolo, ainda na fase de construção do spa. A consultoria veio de Michel Rolland que, àquela época, também era consultor do château Smith Haut-Lafitte, em Martillac, Bordeaux.

A parceria com a Caudalie permaneceu por muitos anos como franquia, até que o Spa do Vinho pudesse desenvolver seus próprios tratamentos e produtos. Hoje o hotel gaúcho está mais robusto e adaptado às necessidades dos clientes brasileiros. A parceria com a Caudalie se mantém, porém, pois seus produtos de finalização são imbatíveis e agregam alta performance nos tratamentos faciais, assegura Deborah.

A empresária faz questão de frisar o papel da água nestes processos. A palavra spa deriva das termas romanas, onde se pregava que a “saúde vem através da água” (s.p.a. - salute per acqua, em latim). Portanto, para se autodenominar “spa”, um centro de tratamentos precisa de fato utilizar a água como principal meio terapêutico.

No caso do Spa do Vinho, toda a água que o abastece provém de uma fonte própria, que é potável e mineralizada. “É com esta água puríssima que conduzimos a maioria dos nossos tratamentos, potencializando o relaxamento e a emoliação da pele”, afirma Deborah.

As matérias-primas para a fabricação dos produtos vêm do processo de vinificação. A uva sofre fermentação natural, o que potencializa seus princípios ativos. Após separar o líquido para compor o vinho, o substrato sólido, riquíssimo em nutrientes, é enviado para laboratório e extraído em altas concentrações.

Com esses extratos, o Spa do Vinho realiza os tratamentos vinoterápicos, que visam principalmente a regeneração da pele. São banhos de imersão, envelopamentos, esfoliações e terapias faciais que aliam relaxamento a profundo tratamento da pele.

Segundo Deborah, apesar de hoje muitas empresas anunciarem seus produtos como “vinoterápicos”, na verdade limitam-se a usar óleo de semente de uva, extraído com solventes, ou baixa concentração de polifenóis estabilizados, cujas patentes são caríssimas. Isso resulta em produtos agradáveis, porém, de baixa performance.

“Na verdadeira vinoterapia, o segredo está no óleo de semente de uva extraído a frio, puríssimo e em altas concentrações de polifenóis estabilizados. É por isso que o Spa do Vinho utiliza apenas seus próprios produtos vinoterápicos. E para finalizar as terapias faciais, utiliza os produtos Caudalie, com tecnologia de ponta e resultados comprovados”.

Os tratamentos permitem relaxar, desintoxicar o corpo e revigorar a pele sem uso de materiais químicos ou processos agressivos. O Spa do Vinho trabalha somente com produtos naturais, livres de parabenos e conservantes. Além disso, para que haja um benefício real, é necessário aliar banhos e tratamentos corporais. Para a face, as etapas envolvem limpeza profunda, avaliação e terapias específicas, de acordo com suas condições de vitalidade.



Durante um Day Spa (sessões de 3 a 6 horas) é possível obter ótimos resultados imediatos. Para quem busca uma ação mais duradoura, o Spa do Vinho oferece programas de 2 a 6 dias, que podem incluir acompanhamento nutricional e físico. Um Day Spa custa R$ 350,00 e os programas têm preço a partir de R$ 680,00. Há também a opção de tratamentos individuais a partir de R$ 100,00.

O Spa do Vinho oferece cerca de 40 tratamentos. A linha de produtos vinoterápicos contempla extratos polifenólicos, óleos faciais, corporais e capilares.

O Spa do Vinho lançou, no início de 2019, a linha home care, Vino Spa, com demaquilante, óleo de banho, shampoo e máscara capilares, além de creme para mãos, pés e corpo. Tudo à base de óleo de semente de uva e subprodutos da vinificação. “Desta forma nossos spasianos têm a oportunidade de manter por mais tempo os benefícios obtidos durante seus tratamentos realizados aqui”, conclui Deborah.