• Vinho Magazine

Vinum Brasilis

A sommelière que ajudou a formar o gosto do brasileiro pelo vinho e serviu um papa

POR MARIA EDICY MOREIRA


A sommelière Anna Rita Zanier, nascida da região do Friuli Venezia Giulia, Itália, está completando 21 anos de Brasil e tem uma extensa lista de contribuições para a cultura do vinho no país. Em 1997, uma época em que não havia praticamente sommeliers, ela desembarcou em São Paulo, a convite da Expand, para ajudar a importadora a disseminar o consumo do vinho no país.

Inicialmente ela foi trabalhar nos bastidores, realizando trabalhos internos e atendendo às lojas do grupo, no treinamento interno e de brigadas, escolha dos vinhos, compras etc.

Porém, as coisas não deram tão certo quanto ela imaginava. Tinha dificuldades com a língua e percebeu que precisava conhecer o mercado brasileiro, muito diferente da Itália. Ao contrário dos países europeus como Itália e França, que só têm praticamente vinhos locais, o Brasil tinha centenas de rótulos de vários países e ela precisava aprender sobre essa diversidade.

“Depois de seis meses saí da Expand. Como na Itália eu era muito ligada à gastronomia, pensei: vou aprender sobre o mercado brasileiro lá fora, na marra”. Nesse período, Anna montou em São Paulo o Alimentari, do chef Sergio Arno, um misto de empório e restaurante. Gerenciou a casa por um tempo cuidando da escolha e da compra dos vinhos e alimentos.

Apesar de o trabalho no Alimentari ser muito parecido com o que ela fazia em seu restaurante/empório na Itália, no ano de 2000 ela voltou à Expand.

Ela ajudou a empresa a criar uma rede de lojas de vinhos franqueadas, e posteriormente foi trabalhar no departamento de Wine Education. A importadora havia decidido que as lojas teriam cursos sobre vinhos todos os dias.e Anna Rita se tornaria pessoa chave nessa estratégia, por 10 anos.

Com mais três sommeliers, elaministrava treinamento interno e, além disso, participava de feiras internacionais para escolher vinhos, ministravam treinamento de brigada, se relacionavam com os produtores e levavam grupos para visitar as vinícolas.

Ficou anos ministrando cursos sobre vinhos na Expand, até 2015, e atuou em importadoras e restaurantes e em sua própria escola/bar/restaurante, Vinum Est, em São Paulo. Até ensinou sobre vinhos em um navio de cruzeiro, dois hospitais e uma igreja.

Anna comemora seu recorde como a pessoa que mais formou novos enófilos e profissionais do vinho no Brasil, totalizando mais de 130 mil pessoas atendidas, inclusive famosos como Antonio Fagundes, Paulo Ricardo, Denise Fraga, e tantas pessoas que abriram negócios depois de fazer cursos com ela.

“Eu nunca ministro meus cursos pensando em vender vinhos, mas na paixão pela bebida. Se você passa a paixão, ela não acaba nunca”.



Outra experiência marcante na vida de Anna Rita no Brasil aconteceu durante a visita do papa Bento VI, em 2007. Ela atuou como a sommelière oficial, cuidando da seleção dos rótulos e do serviço do vinho durante toda a viagem do pontífice.

Ela estabeleceu em Pinheiros o Vinum Est. “A rua Ferreira Araújo, no Alto dos Pinheiros, fica em um bairro cervejeiro, então eu comecei a pensar como faria para oferecer vinho na calçada, como fazem as cervejarias. Pensei em uma osteria, como na Itália, onde só vendem vinho em caixa. Aí comecei a conversar com os jovens que surgiam por lá e perguntam: ‘não posso tomar uma cerveja?’ Eu respondia: aqui é vinho, se quiser tomar uma cerveja eu tenho uma, o resto eu só tenho vinhos”.

Para atender a esses pedidos ela decidiu descontruir o conceito de tomar vinhos. Começou com a criação de uma taça de um plástico especial que imita o cristal e não altera o gosto do vinho. Imprimiu nas taças os nomes de mais de 30 uvas: Riesling, Sauvignon Blanc, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Gewürztraminer, Syrah etc.

Com isso encorajou as pessoas que estão passeando com o cachorro a pararem para tomar um vinho, como se estivessem tomando um café.

Quando abriu o Vinum Est Anna conta que o objetivo era ministrar cursos, mas seus alunos começaram a cobrar o consumo de vinho e depois alguma comida. A fatiadora de frios da casa, que tem 100 anos, virou atração. Depois vieram as massas. Assim se configurou o Vinum Est, um ambiente com aproximadamente 15 mesas. Não tem adega, nem máquina dosadora de vinhos em taça. Tem uma sala com 600 garrafas que as pessoas pegam garrafas e levam à mesa. O estabelecimento abre para almoço e jantar com um cardápio básico: vinho, frios e massas.

Anna Rita Zanier continua ministrando os seus cursos no local e trabalhando como sommelière consultora para importadoras, restaurantes, aos quais dá treinamento interno e de brigada sobre vinhos, auxilia na escolha dos rótulos, viagens aos produtores...

O COMEÇO

A introdução de Anna Rita no mundo do vinho começou em sua cidade natal, em 1976. Ela havia se formado em administração e seu irmão, que tinha restaurante na cidade, começou a direcioná-la para a enogastronomia.

Na época a Enoteca Regional de Friuli, órgão do governo, precisava de um lugar com um profissional para apoiar na degustação dos vinhos e também de um espaço para ministrar os cursos de sommelier da Associação Italiana de Sommeliers. Esse foi o primeiro emprego de Anna Zanier, que passou a gerenciar a Enoteca.

Ela começou a trabalhar com os produtores de vinho e a bebida logo virou uma paixão. “Era isso que eu queria fazer, apesar de não ter feito uma experiência direta em um restaurante como sommelière, eu gostava de receber os produtores, ir com eles às feiras, organizar degustações...”

Em 1986 formou-se sommelière pelo curso da Associação Italiana de Sommeliers. Ainda hoje, Anna se diz uma pessoa de muita sorte ao longo de sua carreira porque desde a Enoteca Regional sempre associou vinhos com comida e continua trabalhando com essa combinação até hoje.